JULHO A NOVEMBRO 2020

Contamos-lhe como celebrámos o

DIA NACIONAL DAS LINHAS DE TORRES

Em 2014, a Assembleia da República deliberou, por unanimidade, instituir o dia 20 de outubro como o Dia Nacional das Linhas de Torres, em homenagem à memória e resistência do povo português aliada à estratégia e engenharia militar. Esta deliberação veio reconhecer publicamente o espírito de sacrifício de todos aqueles que lutaram contra o invasor, fosse integrando o exército aliado ou construindo as fortificações, fosse abandonando as suas casas, destruindo os seus bens e privando o exército francês de se alimentar no terreno.

A escolha do dia 20 de outubro deve-se ao seu simbolismo, já que foi nesta data que a estratégia defensiva das Linhas de Torres começou a ser desenhada no terreno: 20 de outubro [de 1809] é a data do memorando que Lord Wellington dirigiu ao seu engenheiro principal, Richard Fletcher, ordenando o reconhecimento do terreno e a fortificação dos pontos mais convenientes e defensáveis, criando um sistema de defesa a norte de Lisboa.

Tratava-se de fortificações provisórias, erguidas em tempo recorde com recurso à força de trabalho de cerca de 150 mil portugueses, e que estabeleceram um ponto de viragem na história das Campanhas Napoleónicas, assumindo grande relevo quer para a História de Portugal, quer para a História contemporânea mundial.

Desde a sua instituição que a Rota Histórica das Linhas de Torres celebra o Dia Nacional das Linhas de Torres. Anualmente, cabe a um dos municípios fundadores acolher a cerimónia comemorativa, que integra um programa alargado e transversal a todo o território da RHLT.

Esse programa procura conciliar a cultura e a história com experiências de descontração e lazer que incluem percursos a cavalo, batismos equestres, geocaching, ateliês, visitas guiadas, mostras gastronómicas, provas de vinhos e espetáculos, entre outras iniciativas.

No ano de 2019 coube a Arruda dos Vinhos acolher a cerimónia comemorativa, cuja abertura foi da responsabilidade de Rute Miriam, membro da direção da RHLT e vice-presidente do município de Arruda dos Vinhos, a que se seguiu a apresentação pública do primeiro número da revista INVADE! e um concerto pela Orquestra de Câmara Euterpe.

A preceder a cerimónia teve lugar, em Sobral de Monte Agraço, a recriação da Escaramuça da Vila de Sobral, que ocorreu no dia 12 de outubro de 1810, quando a guarda avançada do VIII Corpo de Junot marchou sobre o flanco norte do Sobral e atacou os postos avançados de Spencer. Esses ataques prosseguiram no interior da povoação, acabando a vila nas mãos do inimigo, com mais de uma centena de baixas para ambos os lados.

A recriação do episódio foi comentada pelo Coronel Ribeiro Faria e precedida pela marcha das tropas na Avenida Marquês de Pombal, tendo sido concluída com a deposição de uma coroa de flores na placa evocativa do esforço da população na construção dos fortes e redutos das Linhas de Defesa de Lisboa.

A iniciativa foi uma organização da Associação de Cultura e Recreio 13 de Setembro de 1913, que contou com a participação dos grupos de recriadores históricos da Associação Napoleónica Portuguesa e com o apoio do município de Sobral de Monte Agraço, através do Centro de Interpretação das Linhas de Torres (CILT).

Entre 18 e 25 de outubro decorreram várias atividades destinadas ao público em geral, a famílias com crianças e a escolas, designadamente visitas aos Fortes da Carvalha e Cego (Arruda dos Vinhos); ao CILT de Bucelas e ao Forte da Ajuda Grande, com apontamentos de recriação histórica e demonstração de armas de época (Loures); a simulação de “um forte invadido”, o conto “Ficaram a ver navios”, integrado no Ciclo de Contos com História Dentro e a atividade de GeoWigo “Descobrir as Linhas do século XXI” (Mafra); o passeio pedestre aos Fortes da Serra da Aguieira, batismos equestres no Morgado Lusitano, prova dos vinhos “Encostas de Xira”, mostra de licores Raízes Ribatejanas e de compotas A Cozinha d’Anita e a encenação teatral “Vila Franca ao tempo das Invasões Francesas”, com a participação da Cooperativa Eseliora CRL.

Durante o fim de semana de 19 e 20 de outubro realizou-se mais uma edição de À Mesa com os Generais, uma iniciativa na qual os restaurantes aderentes apresentam nas suas ementas um prato ou menu com inspiração de época. São propostas experiências gastronómicas com ingredientes locais, acompanhadas por uma pitada de pequenas estórias que recriam os paladares oitocentistas. 
Este ano, a cerimónia comemorativa do Dia Nacional será acolhida por Torres Vedras, com o habitual programa estendendo-se a todo o território das Linhas de Torres. Visite-nos!


   ARTIGO ANTERIOR
PRÓXIMO ARTIGO